A Empresa

Sobre a Interportos

A abertura de mercado iniciada em 1992 começou a tomar uma dimensão maior no início da década de 2000, como resultado das políticas econômicas de fomento à produção de bens voltados para Exportação e às metas cada vez mais arrojadas de aumento da balança comercial. As políticas de melhoria da competitividade industrial também incrementaram as importações, estimulando a cadeia de comércio exterior de forma ampla. A visão de que o Brasil ainda teria grandes passos a dar nas atividades relacionadas ao comércio exterior, foram a fonte de inspiração para que buscássemos o envolvimento com esta cadeia econômica.

Decidimos que a melhor forma de iniciarmos nossa entrada no mercado seria através de operações com Armazenagem de Contêineres Vazios no final de 2003, ocupando espaço de 10.000m2. Além de exigir pequeno investimento, havia na época uma demanda expressiva deste serviço devido à pouca oferta e em face da crescente atividade marítima no Porto do Rio de Janeiro. Estabelecemos a partir daí uma estratégia que pode ser resumida na participação da empresa em toda a cadeia logística terrestre de exportação. Iniciamos prestando serviços de armazém para contêineres vazios, sendo também contratados pelo Porto de Itaguaí como prestadores de serviço. Este contrato nos colocou em evidência no mercado e ao final de 18 meses já trabalhávamos com 8 dos principais armadores que operam no Estado do Rio de Janeiro.

Seguindo a estratégia definida, prosseguimos para as etapas posteriores da cadeia de exportação, em uma ordem de viabilidade operacional:

Em 2006 ingressamos no transporte rodoviário de cargas, através de frota própria, nova, rastreada e com apoio de gerenciadora de risco, oferecendo ao mercado um serviço de qualidade comparável ao das melhores transportadoras nacionais.

Em 2007 dobramos nossa frota própria e adquirimos empilhadeiras pesadas, quando iniciamos a armazenagem de commodities. Ao longo deste período adquirimos a experiência e o relacionamento com o mercado necessários para partirmos para a etapa seguinte.

Em 2009 recebemos da Receita Federal a homologação como terminal REDEX – Recinto Especial de Exportação, quando iniciamos o processo de alfândega de exportação.

Finalmente em 2011 recebemos autorização para operar como Armazéns Gerais. Também neste mesmo ano passamos a operar como Despachantes Aduaneiros, fechando assim a cadeia para o completo processamento de cargas para exportação, desde o Cliente até o Porto.

Hoje possuímos 21.000m2 de armazéns, a maior área alfandegada para exportação (REDEX) do Rio de Janeiro com 18.500m2, totalizando 76.000 m2 de espaço dedicado à Logística Integrada de Cargas. Nossos projetos de crescimento são ambiciosos e nos posicionarão com um Market-Share significativo, nos tornando colaboradores relevantes para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.